• Ana Paula Peron

Cuide dos conflitos antes de perder o controle sobre eles!

Você já percebeu que a sua ATUAÇÃO PROATIVA (OU NÃO) pode ser definitiva para o crescimento (ou não) de SITUAÇÕES CONFLITUOSAS?


Este é o tema da NOVA SÉRIE de artigos, iniciada no texto anterior e baseada na “ESCALADA DOS CONFLITOS” – abordagem do consultor e mediador Friedrich Glasl, que sistematizou os 9 DEGRAUS DE AGRAVAMENTO DO CONFLITO, mostrando o que pode LEVAR RELAÇÕES AO LIMITE E AO ABISMO. Um conceito que também pode ser entendido como um processo pelo qual UM CONFLITO SE INTENSIFICA ao longo do tempo.


Como você provavelmente tem percebido, as pessoas PREFEREM EVITAR OS CONFLITOS. É comum que não percebam o seu crescimento, só se dando conta dele quando o problema chegou aos degraus mais avançados da Escalada. Por isso, é importante entender que uma tensão se configura em conflito quando uma das partes ou as duas não consegue(m) LIDAR CONSTRUTIVAMENTE COM AS DIFERENÇAS. Ou, como diz Joseph Folger:


“conflito é a interação de pessoas interdependentes que percebem objetivos incompatíveis e interferências mútuas na consecução dos mesmos.”

No Degrau 1 da Escalada, ENDURECIMENTO, os pontos de vista se agravam, se cristalizam e se chocam. Os “OPONENTES” não conseguem mais se abrir espontaneamente, desenvolvendo pequenas restrições interiores, se tornando seletivos. Há como uma variação entre colaborar e competir e as partes ainda se esforçam para fazer as coisas funcionarem.

Mas, se não conversarem para esclarecer questões presentes e COMPREENDER OS PONTOS DE VISTA DO OUTRO, o conflito poderá evoluir para uma situação mais tensa, se deslocando para o Degrau 2 – DEBATE/POLÊMICA. Como o próprio nome diz, cada um buscará ter razão e iluminar, da melhor forma possível, o próprio ponto de vista, que passa a ter o mesmo valor que o objeto da discordância. Ou seja, ter razão passa a ser essencial.

Nesse nível, as partes se tornam bastante polarizadas. Assim, os argumentos são fortemente rebatidos e a discussão é desviada para o tema no qual cada pessoa se sente segura, PROMOVENDO INSEGURANÇA DO OPONENTE. Cada lado se fixa em sua própria linguagem e não consegue mais ouvir, imparcialmente, os interesses do lado oposto. Trata-se de um jogo no qual o que importa é mostrar superioridade intelectual, provocando polêmica.


No momento em que as partes se convencem de que não será possível se entender por palavras, pois por elas só irritarão mais e mais, o conflito passa ao Degrau 3 – AÇÕES SEM PALAVRAS, no qual cada um faz o que quer, apresentando A SUA OPÇÃO COMO UM FATO CONSUMADO. As ações passam a definir os acontecimentos e, agora, os “INIMIGOS” passam a se olhar com desconfiança. Isso aumenta mal entendidos que, por sua vez, aumentam a desconfiança.


Frases como “NÃO FALO MAIS NADA, AGORA, FAREI DO MEU JEITO” passam a ser comuns. E, com o aumento da desconfiança, as partes começam a procurar aliados. Neste momento, há o BLOQUEIO DA EMPATIA e cada lado se fecha nas próprias questões emocionais, sem conseguir perceber o que ocorre ao redor.


A esta altura, provavelmente, você deve estar vendo UM FILME DIANTE DOS SEUS OLHOS, SE IDENTIFICANDO nessa situação. Se isso aconteceu, saiba que, até o terceiro degrau, o foco das discussões ainda é o conteúdo que deu origem ao conflito. Há uma oscilação entre cooperação e competição e é possível, com o apoio de outras pessoas do entorno, chamar as duas partes AO EQUILÍBRIO, a compreender que, se seguirem neste rumo, poderão SE PERDER ENTRE TER UM CONFLITO OU SER ABSORVIDO E TOTALMENTE ENREDADO POR ELE.


Ainda é possível que a relação se torne um jogo de ganha-ganha. Em outras palavras, É POSSÍVEL “DESESCALAR” este conflito.


Entretanto, se a situação não for cuidada nem revertida, poderá avançar para o Degrau 4 – IMAGENS E COALIZÕES, onde já estão formados os partidos, isto é, TIMES QUE SE ENFRENTAM. Não há mais uma discussão entre dois oponentes, mas uma crise entre dois times. Quem está a favor de um dos lados está contra o outro – e vice-versa -, e cada lado se esforça para provar o quanto está certo e é competente, enquanto o outro está errado e é incompetente.


A DESQUALIFICAÇÃO DO TIME OPONENTE é intensa. A cada nova experiência, se fixam imagens da incompetência do outro. E tudo é feito para provar a teoria de que o outro é o errado. Assim, os lados avançam, provando suas teorias com PEQUENAS ALFINETADAS e reforçando teses e pessoas de um partido e de outro. Além disso, cada um se esforça para trazer mais gente para o “seu” lado e reconhecer as “MÁS INTENÇÕES” do outro partido. Assim, a confrontação fica MAIS RADICAL E VIOLENTA, podendo até chegar a agressões físicas.


Este movimento vai aumentando por ação das próprias pessoas que alimentam a Escalada com suas ações, palavras e acusações. Qualquer semelhança com o que vivemos, com frequência, não é mera coincidência. São PARTES POLARIZADAS tentando destruir seus oponentes, os desqualificando e destruindo sua imagem.


Em mais um passo, chegam ao Degrau 5 – “PERDER A CARA” – ou DESMASCARAR O INIMIGO. O objetivo é fazer que o oponente perca sua credibilidade moral. A partir daí, é bem dramático o que ocorre: um lado acha que descobriu as verdadeiras intenções destrutivas do outro e os dois lados se confrontam: NÓS, OS ANJOS, CONTRA ELES, OS DEMÔNIOS. Aparecem os LADOS SOMBRA E MORALMENTE REJEITÁVEIS de todos. O cenário é de HERÓIS E BANDIDOS. Começam a surgir agressões sem consideração alguma. O ataque se torna público e os agressores têm o compromisso moral de desmascarar o inimigo, de desmoralizá-lo.


No filme A GUERRA DOS ROSES (1990), escrito por Warren Adler e dirigido por Danny DeVito, o casal protagonizado por Michael Douglas e Kathleen Turner mostra perfeitamente esse processo de Escalada dos Conflitos. Depois de 18 anos juntos, eles decidem se separar. No entanto, o divórcio se torna uma grande disputa pela luxuosa mansão onde viviam. Nenhum dos dois quer ceder e acabam se envolvendo em um emaranhado de sentimentos de ódio e vingança.


Que tal assistir ao filme antes do próximo artigo, que tratará das próximas fases da Escalada, buscando reconhecer os degraus?


Até lá, caso você precise esclarecer alguma dúvida específica sobre conflitos, escreva para mim. Terei uma imensa alegria em trocar ideias com você!


E, se ainda não conferiu, não deixe de ler o artigo sobre REUNIÕES COM POTENCIAL EXPLOSIVO (RPE) e o que fazer em situações assim. Aprecie esse textos sem moderação, acompanhando a linha do tempo ou clicando em https://lapidarconflitos.wixsite.com/meusite-2/post/reuni%C3%B5es-com-potencial-explosivo-rpe



Lapidar, um caminho precioso para relações mais saudáveis.

FALE COM ANA PAULA PERON

  • Preto Ícone LinkedIn
  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon

© 2020 por @ornando.comvc